segunda-feira, 10 de agosto de 2015

Livro de Julho: Grito de Guerra da Mãe Tigre - Amy Chua

Mês passado quase não consegui cumprir a minha meta de ler pelo menos um livro por mês, não sei gente mas passou tão rápido que quando vi já estava no final do mês e então corri atrás e consegui terminar. E olhem não é porque o livro escolhido era chato ou longo, posso confessar que foi preguiça mesmo!

Grito de Guerra da Mãe Tigre - Amy Chua


Sinopse: Grito de guerra da mãe-tigre é a história incontestavelmente honesta, muitas vezes engraçada e sempre instigante de uma mãe radical. Por se opor de maneira drástica à indulgência dos pais ocidentais, Amy Chua tomou a decisão de criar as filhas, Sophia e Lulu, à moda chinesa. As mães-tigres veem a infância como um período de treinamento. Para Sophia e Lulu, isso significa aulas de mandarim, exercícios de rapidez de raciocínio em matemática e duas ou três horas diárias de estudo de seus instrumentos musicais (sem folga nas férias, e com sessões duplas nos fins de semana). Grito de guerra da mãe-tigre expõe o choque das visões de mundo oriental e ocidental no que diz respeito à criação dos filhos. Mas é basicamente a história das expectativas de uma mãe em relação às duas filhas e os riscos que está disposta a enfrentar para investir no futuro de ambas.

Ganhei esse livro, e só depois fiquei sabendo da repercussão e polêmica em torno dele, e confesso ele é polêmico mesmo. Afinal ele narra a história real de uma mãe de descendência chinesa que casou com um judeu, e que para educar as suas filhas escolheu o método de educação chinês, mesmo morando nos Estados Unidos. Confesso que teve momentos do livro que fiquei chocada em como Amy tratava as filhas, mas em outros momentos parecia que era a melhor maneira de educar os filhos. Isso porque o livro é uma espécie de diário onde Amy conta as suas experiências enquanto compara a maneira de educar dos ocidentais e dos orientais, então podemos ver momentos em que o seu método teve resultados excelentes e outros momentos em que ela mesma não sabia mais o que fazer. Bom, para mim o livro foi muito interessante pois pude ter uma outra perspectiva de como criar os filhos, e claro que não vou agir como uma mãe chinesa, mas tirei alguns pontos importantes como por exemplo para a cultura chinesa os filhos são mais fortes que pensamos, podendo aguentar mais pressão do que imaginamos, e que isso pode impulsioná-los a obter sucesso. Enfim, gostei muito de ler esse livro, pois por mais polêmico que possa ser, ele foi escrito de uma maneira muito leve e bem humorada, e não quis mostrar que o seu modelo está correto e é sem erros, mas sim que pode dar certo ou não, e aí fica a critério do leitor chegar a uma conclusão.
Espero que tenham gostado da resenha, e mês que vem tem mais!! Bjs

4 comentários:

  1. Amei a resenha, e com certeza quero ler esse livro!!
    Beijos 1999since.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Não conheço o livro, mas depois da resenha parece muito bom.
    Beijos ♥ http://mhilkadiniz.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi Kati! Nossa, adorei saber mais sobre esse livro! Quando foi lançado eu não tive interesse em ler mas agora que sou mãe tenho certeza que o verei com outros olhos, além de tirar algumas dicas e lições para a minha vida de mãe.
    Eu acho super interessante a forma de levar a vida do povo ocidental e oriental. Tão diferente e singular, né?
    Vou procurá-lo pra comprar!
    Obrigada pela dica! :*

    ResponderExcluir
  4. Olá Kati tudo bem???

    Adoro ler e gostei bastante do livro que vc leu!!!


    Beijinhos;
    Débora.
    http://derbymotta.blogspot.com.br/
    https://vamosprovar.wordpress.com/

    ResponderExcluir

Ficarei muito feliz com o seu comentário!