terça-feira, 29 de outubro de 2013

Bromélias

Como mostrei no outro post, fiz meu jardim de bromélias, e descobri que existem vários tipos e uns são melhores para o sol e outros para meia-sombra e sombra. A bromélia (Bromeliaceae) é uma planta de família numerosa, nativa das Américas, e possuem a mesma forma de crescimento: acaule, as folhas que formam rosetas verticais ou achatadas, como uma espécie de copo central, para retenção da água. Elas não são parasitas, e apresentam uma impressionante resistência. São encontradas como: Epífitas: (podem ser encontradas em árvores ou cultivadas facilmente em vasos em ambientes internos, com luz indireta) ou Terrestres ou rupícolas: (espécies que crescem no chão ou sobre as pedras que podem ser cultivadas em sol pleno, geralmente apresentam folhas coloridas como: amarelo, vermelho e mescladas). Contudo, a maioria das bromélias preferem meia-sombra. A bromélia se ramifica formando brotos que podem ser destacados e replantados. Ao produzir os seus brotos, a planta original transfere para eles os seus nutrientes e suas folhas vão perdendo a cor e o brilho e ao final de algum tempo toda a vitalidade terá sido transferida para as ramificações e isto é um processo natural e poderá ir retirando as folhas à medida que elas forem perdendo a beleza original. A resistência das bromélias ao sol varia muito de uma espécie para outra, mas uma planta bem regada suportará melhor o stress causado pelo excesso de calor e iluminação. Também é importante observar a planta, pois muitas vezes uma planta que teoricamente é para sol pleno, mas que foi criada em estufa pode sofrer quando plantada ao sol. As bromélias gostam de ter o seu substrato úmido, mas bem drenado. No inverno e em tempo úmido, poderá regar uma vez por semana, já no verão e em dias quentes, poderá regar até todos os dias embora a maioria das bromélias possam suportar longos períodos sem rega.
Em relação a adubação das bromélias, é importante saber que é melhor errar para menos do que para mais. Os tipos de adubo são osmocote, folear ou farelo de mamona, e devem ser usados após a floração e assim que os brotos são plantados. A dosagem deve ser menos da metade da dose recomendada para as outras plantas como osmocote (1/2 a 1 colher de sopa em dose única), farelo de mamona(1/2 a 1 colher de sopa uma vez por mês e no máximo 2 a 3 doses), ou folear (um quarto da dose indicada, uma a duas vezes por mês podendo ser de uso contínuo).

Em geral as bromélias podem ser plantadas com sucesso tanto em vasos quanto no solo, e também podem ser amarradas firmemente em troncos, galhos ou placas.
Aqui vou mostrar algumas fotinhos de bromélias:
Essa é a Bromélia Imperial (Alcantarea imperialis) e ela é para meia sombra ou sol pleno. Eu tenho uma pequena, mas ela pode chegar a tamanhos grandes, e para mim é a mais bonita de todas.

Bromélias para sol pleno (terrestres ou rupícolas)
 Bromélias meia-sombra e sombra (epífitas)
Dica para evitar a proliferação de insetos da dengue: misture um litro de água com um colher de sopa de água sanitária, para regar as bromélias. Assim as larvas do mosquito da dengue não se proliferam na água depositada nas folhas da planta.

Espero que gostem. Bjs

Um comentário:

  1. Nossa... que aula sobre bromélias... aprendi um monte!
    beijinhos...

    ResponderExcluir

Ficarei muito feliz com o seu comentário!